O Corinthians adota uma postura austera no mercado, visando uma redução de gastos em relação aos últimos anos. Após os ex-treinadores receberem os reforços pedidos, a missão de Vagner Mancini neste início de temporada foi realizar uma “limpa”, indicando atletas que não integravam o planejamento. Ainda sem receber novidades nos primeiros meses de 2021, o comandante aposta em joias formadas nas categorias de base.

A diretoria do Timão, no entanto, está atenta às possibilidades e vem sendo procurada por muitos empresários, principalmente de atacantes. De acordo com informação da reportagem do “Globoesporte.com”, apesar de não confirmar oficialmente, o Corinthians recebeu indicação de até cinco alternativas para o setor ofensivo.

Em grande fase na Ferroviária, sendo o artilheiro do Paulistão com oito gols marcados, Bruno Mezenga foi recomendado. No entanto, por conta da idade – 33 anos – não chamou atenção. No mercado do exterior, Nicolás Blandi, do Colo-Colo, do Chile, foi sugerido ainda no início do ano. Pouco depois, foi a vez Jerónimo Barrales, do Asteras Tripolis, da Grécia. Os argentinos também não despertaram interesse.

Já conhecidos no Parque São Jorge, empresários tentaram colocar Cristián Arango, de 26 anos, do Millonarios, no Timão. A diretoria do clube colombiano chegou a falar em valores de venda, enquanto os agentes tentavam um empréstimo. Já o Corinthians afirma não saber do assunto. Por último, o nome Fernando Fernández, que foi algoz pelo Guarani do Paraguai, chegou à alta cúpula, que recusou.

“Jogadores são oferecidos, dez por dia. O motivo (de não contratar) é nosso, nós que estamos dando passos para trás para dar passos mais seguros para frente (…) Demos início à experiência com a garotada, vamos dar sequência (…) No final do Paulista, talvez, a gente consiga fazer uma avaliação de quem sobressaiu e está perto de virar titular e ver se precisa de contratação pontual. Se precisar, faremos sim”, afirmou o diretor de futebol Roberto de Andrade, em recente entrevista.